quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

tristeza

mais uma órbita ao redor do sol, parece que a bolinha roda cada vez mais rápido e eu notoriamente me sinto cada vez mais e mais tonto... fica pra trás 2009 com um pouquinho da minha tristeza sem fim...

Tristeza imensa pelo homem que antes de nascer já fora tirado de tempo. E me pergunto que tipo de gente nega guarida a uma grávida com buchão? Fudido ao nascer, em um curral, com os animais. Fudido em vida, porque desde muito tempo as coisas não tem sido nada fáceis para um certo tipo de gente. Fudido na morte, julgado e condenado por crimes políticos, torturado, cruxcificado , humilhado, assassinado, tipo o filme do mel gibson... Fudido depois de morto, porque em seu nome foram cometidos e justificados as piores atrocidades, crimes justificados, preconceitos justificados. Tristeza pelo símbolo jogado na merda...
Tristeza profunda pelo amigo perdido, covardemente tirado de mim... e jaz sem noção do que acontece em nossa volta... Tristeza por ser incapaz de me comunicar e fazer contacto. E é por essas e por outras que devemos tomar cuidado com o que desejamos. Influência nefasta. Tristeza por você não existir mais do meu lado, e te ver se tornar uma pessoa bem pior que qualquer um deve ser. Tristeza por perder tudo aquilo que era de nós dois... satanás te passou a perna, que novidade!
Absurda tristeza por alguém que esqueceu de mim. E esqueceu tudo de mais valiosa que eu tinha, e entreguei de coração aberto, sem cobranças e sem vaidades. E agora só resta a farsa, a mágoa, o rancor e o preconceito. Não que faça diferença, mas pra mim, o que era nosso tá guardado com o mesmo frescor da juventude, do aprendizado e do amor.
Tristeza cabulosa pelos excluídos que, invisíveis, sofrem perversamente a cultura da punição, quando já nasceram condenados a todas as formas de injustiça.
Porque coisas ruins acontecem com pessoas boas?
Tristeza pelo povo negro, que teve sua cultura e sua identidade massacradas, tristeza pelas crianças negras que ouviam suas mães e suas irmãs serem violentadas. Tristeza pela omissão e pelo silencio que me devasta. Tristeza por quem só quer amar e não pode... Tristeza por essa corrupção disseminada... Pelas almas corrompidas.
Uma tristeza sem fim, que às vezes se faz raiva, às vezes se faz depressão... Tristeza que me tira do sério.
Tristeza pelo meu cinismo... tristeza por ter que andar com 4 pedras na mão...
Tristeza por sentir falta de algo que eu nunca tive...

alice


"Nunca é tarde pra sonhar, mas isso quando se pode dormir."

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

niver de jésa

indo a shoppings e supermercados, tenho a impressão que o Natal desperta o pior das pessoas... ilustração do mestre alan moore, mais uma vez lembrando de não esquecer...

sábado, 19 de dezembro de 2009

Si yo fuera maradona


Si Yo Fuera Maradona

si yo fuera maradona
viviria como el
Si yo fuera maradona
frente a cualquier porteria
Si yo fuera maradona
nunca m'equivocaria
Si yo fuera maradona
perdido en cualquier lugar

LA VIDA ES UNA TOMBOLA…
de noche y de dia…la vida es una tombola
y arriba y arriba….

si yo fuera maradona
viviria como el…
mil cohetes…mil amigos
y lo que venga a mil por cien...
Si yo fuera maradona
saldria en mondovision
para gritarle a la FIFA
Que ellos son el gran ladron !

LA VIDA ES UNA TOMBOLA…
de noche y de dia…la vida es una tombola
y arriba y arriba….

si yo fuera maradona
viviria como el
porque el mundo es una bola
que se vive a flor de piel

si yo fuera Maradona
frente a cualquier porqueria...
nunca me equivocaria...

si yo fuera maradona
y un partido que ganar
si yo fuera maradona
perdido en cualquier lugar....

LA VIDA ES UNA TOMBOLA…
de noche y de dia…la vida es una tombola
y arriba y arriba….

LA VIDA ES UNA TOMBOLA…
de noche y de dia…la vida es una tombola

mano chao

http://www.youtube.com/watch?v=6B-zVjXtklE&feature=related

ligue-se

E se você se pegar, numa mesa de bar, falando que nem um crente-xarope-presbiteriano-fanatico-preconceituoso-reacionario-militar-faxista-coronel-hipocrita-defensor-da-moral-e-dos-bons-costumes, se liga! Cuidado! Tem alguma coisa errada...

repetindo:

E se você se pegar, numa mesa de bar, falando que nem um crente-xarope-presbiteriano-fanatico-preconceituoso-reacionario-militar-faxista-coronel-hipocrita-defensor-da-moral-e-dos-bons-costumes, se liga! Cuidado! Tem alguma coisa errada...

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

LOST

falecido charlie de LOST, riscado pelo falecido Wieringo... valeu lima...

O canal AXN vai estreiar a sexta e derradeira temporada de LOST dia 9 de fevereiro, apenas com uma semana de delay em relação ao lançamento na gringa... até lá, apartir do nono dia de 2010...

1ª Temporada: Dias 09/01 (sábado), das 09h às 20h30; e 10/01 (domingo), das 09h às 21h30.
2º Temporada: Dias 16/01 (sábado), das 09h às 20h30; e 17/01 (domingo), das 09h às 20h30.
3º Temporada: Dias 23/01 (sábado), das 09h às 19h30; e 24/01 (domingo), das 09h às 20h30.
4ª Temporada: Dias 30/01 (sábado), das 09h às 15h30; e 31/01 (domingo), das 09h às 15h30.
5ª Temporada: Dias 06/02 (sábado), das 09h às 16h30; e 07/02 (domingo), das 09h às 17h30.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

jabá


"Ela segura a faca, olha para a lâmina, testa a agudeza com o dedo e diz: - Bem que eu poderia contar a vocês como as pessoas ricas e entediadas matam o tempo..."
chuck em Assombro

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

manifesto pitomba


tá bom, eu estou apaixonado... e é bem melhor estar apaixonado... o tempo voa e nunca nos cansamos... ele esteve em brasilia e eu só penso em como teria sido bom ter tomado umas cervejas com ele... e é apaixonado que posto o pitomba manifesto... lindo de novo...

01. porque a palavra, já que dita, não é palavra, antes de ouvida.

02. porque se há de ser dito, e se convém que se ouça, que seja dito com cacofatos e microfonias, pra que, assim, quem ouça também diga.

03. porque haja uma leva de gente, por fatalidade geográfica, no mesmo tempo e à mesma inação.

04. porque a informação não se pertence e a posse de ter é a posse de dar e é essa posse que reivindicamos.

05. porque a palavra há de existir para além de quem a diga, mas não para além dela, porque a palavra está para além de nada.

06. porque pra além do caroço, que é quase tudo, existe a casca, que se quebra, e existe a polpa, que se quer:

pitomba!


quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Tostão


há um tempo um marxista falou que a religião é o ópio do povo, depois um torcedor do fluminense disse que, no braxil, o futebol era, sim, o ópio do povo... o Zina (Ronaldo...) quando perguntado se tinha religião respondeu que era Corintiano... coincidentemente, nessa reta final do melhor campeonato brasileiro dos ultimos tempos eu só quero ser sedado... identidade e cultura... em um sistema excludente, onde nos é negligenciado as coisas mais básicas tudo que eu peço é que nos deixem torcer em paz... seguem a seguir dois trechos do Tostão um oasis de sabedoria, bom senso e educação em meio a esse caos em que nos encontramos...

"O ser humano, principalmente os pragmáticos, os bem preparados cientificamente e que tentam explicar tudo, não aceita a explicação de que a melhor explicação para certos fatos é não haver nenhuma explicação.
Não pense que não acredito na ciência. Pelo contrário, sem a ciência é o caos. Vi isso na medicina. Ocorre o mesmo no esporte. Apenas não sou ingênuo nem obcecado em querer explicar tudo. Quanto mais tentamos explicar, mais ignorantes somos.
Além disso, por mais correta, clara e óbvia que seja uma explicação, ela, isoladamente não explica tudo. Há sempre fatores envolvidos, conhecidos e/ou desconhecidos.
Muito vão dizer que "se" não ganha jogo, que a história é contada somente pelos vencedores e que, contra fatos não há argumentos.
Não é sempre assim. As seleções perdedoras da Hungria de 1954, a da Holanda de 1974, e a do Brasil de 1982 são adoradas até hoje, para a tristeza de Dunga, que nunca se conformou de a seleção perdedora de 1982 ser mais elogiada que a vencedora de 1994.
Contra fatos há também argumentos."

"Se o Flamengo for campeão, será ótimo para Andrade e para os treinadores jovens e interinos, além de diminuir a supervalorização dos técnicos mais famosos.
Além do preconceito com Andrade, por ser auxiliar e falar baixo, há o preconceito por ele ser negro. Não me refiro ao hediondo racismo de não gostar de uma pessoa de outra cor, e sim ao preconceito de que técnicos negros não teriam capacidade intelectual de comandar um grupo.
Evaldo, excelente atacante de Cruzeiro nos anos 60, tinha tudo para ser ótimo treinador. Era equilibrado, educado, falava bem, tinha amplo conhecimento e se preparou para o cargo, trabalhando vários anos nas categorias de base. Não teve as chances que merecia. O mesmo aconteceu com outros técnicos negros.
Enquanto isso, alguns treinadores posudo, marqueteiros e bem relacionados estão por aí, com prestígio e fazendo mal ao futebol."

onda sem mar


Desde pequeno sua imagem, pra mim, era fantástica, quem diria hoje em dia virou uma cena dramática, problemática, envolve infinitos atritos, eu tenho comigo mesmo e você nem sabe disso. Mó reboliço, noite em claro, viro de um lado pro outro e penso comigo mesmo, acho que vou ficar louco... o pouco com Deus é muito, o muito sem Deus não é nada. Obrigado meu Pai por várias chances dadas. Perdão Senhor, não estou seguindo o quinto mandamento, só parte dele eu honro, Será que ainda tem tempo do arrependimento vir e cada um cumprir sua parte. Espero que venha logo antes que seja tarde. Não sou covarde por chamar outras pelo seu nome, elas entendem, me adotam, amenizam a fome da sua figura, do papel que era seu. A esperança sumiu mas ainda não morreu. Que Deus te cuide, te ilumine, te perdoe, te acompanhe. Se um dia você ouvir esse som, não estranhe que minha sede possa ser saciada, não com champanhe mas com amor que eu espero de você...

E eu sem teu amor sou a onda sem mar, sou jardim desflorido sem ninguém pra regar... E eu sem teu amor sou a onda sem mar, sou jardim desflorido sem ninguém pra regar...

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Breganejo



Bruno Azevêdo, lançou esses dias seu livrinho sem vergonha... o Breganejo Blues - Novela Trezoitão... adquiri o livreto... muito legal, mais marginal é dificil, um ritmo frenetico e um humor desagradabilissimo... lirico e agressivo, recomendo pra pessoas de estomago... um chuck palaniuk da terra do sarney... um trechinho..:


14. não existe ex-bicha, meu filho


- tem umas boates boas pra lá.
- Boate de bicha.
- tem mulher também.
- Sapata.
- não deixa de ser mulher. ou tu não te garante mais?
- Tá bom. Mas diz aí, qual é o próximo passo? Tu já botou buceta, já botou beiço, falta os peito né?
- é. falta. eu queria uns bem grandão, tipo pamela anderson. vou ter que ir pra são paulo...
- Sei...
- sabe joelma? ela fez um monte ao mesmo tempo. sentou na mesa e faca! peito, bunda, botox, chapa.
- Deu pra notar...
- quero ir no mesmo que ela foi.
- Humm... escuta, essa tua buceta aí... funciona?
- funciona.
- Dá pra comer?
- dá.
- E tu goza?
- por que tu quer saber disso? não te dá nojo?
- Assim, só pra saber mesmo. Curiosidade.]
- ...
- ?
- ... gozo...
- Mas goza como se desse ou como se comesse?
- é diferente...
- De dar ou de comer?
- diferente o amor mesmo, adailton... é como se a natureza toda cantasse no seu ouvido a mais doce melodia... é uma comunhão com o universo.
- Viado é uma desgraça mesmo! Pra mim isso é aquele chá que o Douglas toma.
- eu tô falando de amor, adailton.
- Pra mim é viadagem. Bem simples, num tem nada sobre amor que não possa resumir a caralho e buceta... se não fosse verdade tu te contentaria em dar o cu.
- do amor de você, lhe invadindo...
- Tá.
- qualé, adailton? tu vem aqui, entra no meu quarto, me aponta uma arma, me bate, canta comigo, ri e depois fica me perguntando se eu gozo ou não. tu acha que tu também não é viado? teu passado te condena, mona!
- ...
- !!!
- Mas foi só você...
- e daí? o agnaldo timóteo também é viado e ninguém enche o saco dele! Não existe ex-bicha, meu filho, só em igreja de crente... e na hora do culto!
- ...
- se amor não tivesse cu tu não tinha vindo aqui atrás de mim. tu tá decepcionado pela minha buceta ou pela falta do meu pau, hein adailton?!!
- ...
- ...
- O Agnaldo Timóteo é bicha?
- é!
- Quem te disse?
- ele.


http://bazevedo.blogspot.com/



sexta-feira, 30 de outubro de 2009

velhos safados


esses dias foi aniversario de Lima e João, os gemeos infernais... em um mundo imundo, cada vez mais bruto, cruel e constipado é um alivio ser amigo desses caras... mando um texticulo do buk um exemplo pra todos nós... que nem ano passado...

encontrei o último copo de vinho misturado com cinzas de charuto e tristeza. aí voltei pra cama, pisquei pra lua e deslizei minha pequena salsicha pra dentro daquele saliente e imaculado traseiro. um verdadeiro ladrão não dá tanto valor ao prêmio quanto ao furto. eu adoro ambos. minha pequena vara subiu ao topo da sua insanidade. meu deus, horrível e perfeito. vingança, de certa forma, sobre o jeito de todas as coisas, sobre velhos sorveteiros e seus loucos olhos de otário, sobre minha mãe morta viva e lambuzando creme em imparcial e insosso rosto de ferro.
ela continua dormindo, pensei. tornava as coisas ainda melhores. é provavelmente Mitzi. talvez Betty. qual a diferença? minha vitória - triste, desempregado e faminto caralho deslizando por entre patíbulos de coisas para sempre proibidas! MAGNÍFICO! eu me sentia muito dramático realmente - a parte mais alta do DRAMA, como Jesse James sacandoa pistola, como Cristo na cruz sob canhões de luz e foguetes, fui abrindo caminho.
ela gemeu e começou a AAERRG UG, HO AH... soube então que ela apenas fingia estar dormindo. tentando salvar sua honra de bêbada de vinho que era simplesmente tão terrível e tão real quanto todas as honras. eu estava apenas socando as tripas dela pra fora com a minha glória falsa e demente.
ela está apenas FINGINDO que está dormindo e eu sou um HOMEM E NADA, NADA PODE ME DETER!
eu parecia estar com toda corda só pra variar e a glória daquilo e a fantástica violência de um cavalo mágico em mim, daquilo, de tudo, me obcecava, soquei, enterrei, enfiei e tudo ficou puro.
então na excitação, o cobertor recuou. enxerguei mais claramente a cabeça. a parte detrás da cabeça e os ombros - era um MACHO Careca e Americano! tudo ficou flácido. recuei com nojo, olhando pro teto, e nenhuma bebida no lugar. Zé Careca não se mexeu ou falou. finalmente decidi ir dormir e esperar pela amanhã.
acordamos de manhã e nada foi mencionado. alguém entrou e levantamos alguma grana pro vinho.
e os dias se seguiram e eu continuava esperando ele ir embora. as garotas começaram a me olhar de um jeito estranho. ele ficou duas, três semanas.


Notas de um Velho Safado de Charles Bukowski.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

hiihihihihh


HOMEM NÃO CHORA, MAS HOMEM QUE É HOMEM NEM RI!!!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

menino preto III

ilustraçãomeramentefigurativaoufigurameramenteilustrativa do sempre belo malangatana



a saga do menino preto está longe de terminar... e nesse ponto da historia já podemos perceber que se trata de uma fábula sobre pessoas como eu ou vc e que poderiam estar em presídios ou em manicômios...





III


Ela falou em seu ouvido: A lua vai te guiar... e o sol sempre renovará e mudará os tons dos seus propósitos... o menino preto ainda tentava se acalmar do impacto primeiro de interagir com uma pessoa tão estranha, e o menino preto entendia um pouco e dentro de suas limitações o que significa ser estranho... e pensava sobre aquelas palavras com ares de profecia mas proferidas por pessoa tão bizzola bem que poderiam ser malditas, pragas... ela parecia ter um olho esquerdo morto, opaco com uma consistente camada de remela amarela em sua volta, e tinha uma enorme verruga em um enorme nariz com uma pele que parecia o couro de um animal bem feio e escroto... e já sabendo lidar com seus preconceitos e sua falta de experiência e traquejo social, o menino preto sorriu, ela devolveu um sorriso, mas sem dentes... e na cabeça cheia do menino preto e no coração agoniado foi impossível não achar que alguma coisa estava faltando, ela tocou seu ombro, e tinha unhas horrorosas, unhas compridas e grosseiras, sujas marrons pareciam garras, ou uma madeira envelhecida de uma arvore velha retorcida e horripilante... ofereceu ao menino preto uma maçã magnificamente bonita, e com muitas idéias fervendo em sua cabeça debaixo de um sol que já tinha decidido ficar escaldante, o menino preto quase dolorosamente lembrou da secura da sua boca e do calor insuportável que ele se concentrava para ignorar... ou a cor vermelhissima e a textura incrivelmente brilhante atingiram sua retina, e por conseguinte seu cérebro, de tal maneira, que o menino preto sentiu uma pequena vertigem... aquela velha que apareceu do nada, disse algo que ainda precisa encontrar o seu sentido, sorriu pra ele um sorriso podre... lhe deu algo que ele soube antes de comer, e no momento em que mordeu aquela maça... o suco escorreu pelo canto de sua boca e cada célula do seu corpo franzino sentiu a força da natureza na forma da melhor maça do mundo, refrescou-se...



terça-feira, 29 de setembro de 2009

10 razões para legalizar as drogas


O Le Monde Diplomatique de setembro, uma das melhores publicações brasileiras, tem um dossiê sobre "A legalização das drogas e seus impactos na sociedade", com textos de Thiago Rodrigues (Tráfico, guerras e despenalização), uma entrevista com Caco Barcellos, um artigo de Luciana Boiteux (Aumenta o consumo. O proibicionismo falhou) e de Victeor Palomo (A dependência química é de uma minoria).

Silvio Caccia Bava, o editor do LMD, em lugar de seu habitual editorial, dá a palavra a um especialista em Inteligência Criminal da Scotland Yard, John Grieve, que não perde atualidade, mesmo sendo escrito na Inglaterra e em 1997. Reproduzimos aqui o texto, para socializar a informação e promover o debate. Mais materiais, no LMD de setembro.

1. Encarar o verdadeiro problema
Os burocratas que constroem as políticas sobre drogas têm usado a proibição como uma cortina de fumaça para evitar encarar os fatores sociais e econômicos que levam as pessoas a usar drogas. A maior parte do uso ilegal e do uso legal de drogas é recreacional. A pobreza e o desespero estão na raiz da maioria do uso problemático da droga, e somente dirigindo-se a estas causas fundamentais é que poderemos esperar diminuir significativamente o número de usuários problemáticos.

2. Eliminar o mercado do tráfico
O mercado de drogas é comandado pela demanda de milhões de pessoas que demandam drogas ilegais atualmente. Se a produção, suprimento e uso de algumas drogas são criminalizados, cria-se um vazio que é preenchido pelo crime organizado. Os lucros neste mercado são de bilhões de dólares. A legalização força o crime organizado a sair do comércio de drogas, acaba com sua renda e permite-nos regular e controlar o mercado (isto é, prescrever, licenciar, controle de vendas a menores, regulação de propaganda, etc.)

3. Redução drástica do crime
O preço das drogas ilegais é determinado por um mercado de alta demanda e não regulado. Usar drogas ilegais é muito caro. Isso significa que alguns usuários dependentes recorrem ao roubo para conseguir dinheiro (corresponde a 50% do crime contra a propriedade na Inglaterra e é estimado em 5 bilhões de dólares por ano). A maioria da violência associada com o negócio ilegal da droga é causada por sua ilegalidade. A legalização permitiria regular o mercado e determinar um preço muito mais baixo acabando com a necessidade dos usuários de roubar para conseguir dinheiro. Nosso sistema judiciário seria aliviado e o número de pessoas em prisões seria reduzido drasticamente, economizando-se bilhões de dólares. Por causa do preço baixo, os fumantes de cigarro não têm que roubar para manter seu hábito. Não há também violência associada com o mercado de tabaco legal.

4. Usuários de droga estão aumentando
As pesquisas na Inglaterra mostram que quase a metade de todos os adolescentes entre 15 e 16 anos já usou uma droga ilegal. Cerca de 1,5 milhão de pessoas usa ecstasy todo fim de semana. Entre os jovens, o uso ilegal da droga é visto como normal. Intensificar a guerra contra as drogas não está reduzindo a demanda. Na Holanda, onde as leis do uso da maconha são muito menos repressivas, o seu uso entre os jovens é o mais baixo da Europa. A legalização aceita que o uso da droga é normal e que é uma questão social e não uma questão de justiça criminal. Cabe a nós decidirmos como vamos lidar com isto. Em 1970, na Inglaterra, havia 9.000 condenados ou advertências por uso de droga e 15% de novas pessoas tinham usado uma droga ilegal. Em 1995 os números eram de 94.000 e 45%. A proibição não funciona.

5. Possibilitar o acesso à informação verdadeira e a riqueza da educação
Um mundo de desinformação sobre drogas e uso de drogas é engendrado pelos ignorantes e preconceituosos burocratas da política e por alguns meios de comunicação que vendem mitos e mentiras para beneficio próprio. Isto cria muito dos riscos e dos perigos associados com o uso de drogas. A legalização ajudaria a disseminar informação aberta, honesta e verdadeira aos usuários e aos não-usuários para ajudar-lhes a tomar decisões de usar ou não usar e de como usar. Poderíamos começar a pesquisar novamente as drogas atualmente ilícitas e descobrir todos os seus usos e efeitos – positivos e negativos.

6. Tornar o uso mais seguro para o usuário
A proibição conduziu à estigmatização e marginalização dos usuários de drogas. Os países que adotam políticas ultra-proibicionistas têm taxas muito mais elevadas de infecção por HIV entre usuários de drogas injetáveis. As taxas de hepatite C entre os usuários no Reino Unido estão aumentando substancialmente. No Reino Unido, nos anos 80, agulhas limpas para usuários e instrução sobre sexo seguro para jovens foram disponibilizados em resposta ao medo do HIV. As políticas de redução de danos estão em oposição direta às leis de proibição.

7. Restaurar nossos direitos e responsabilidades
A proibição criminaliza desnecessariamente milhões de pessoas que, não fosse isso, seriam pessoas normalmente obedientes às leis. A proibição tira das mãos dos que constroem as políticas públicas a responsabilidade da distribuição de drogas que circulam no mercado paralelo e transfere este poder na maioria das vezes para traficantes violentos. A legalização restauraria o direito de se usar drogas responsavelmente e permitiria o controle e regulação para proteger os mais vulneráveis.

8. Raça e drogas
As pessoas da raça negra correm dez vezes mais fisco de serem presas por uso de drogas que as pessoas brancas. As prisões por uso de droga são notoriamente discriminatórias do ponto de vista social, alvejando facilmente um grupo étnico particular. A proibição promoveu este estereótipo das pessoas negras. A legalização remove um conjunto inteiro de leis que são usadas desproporcionalmente no contato de pessoas negras com o sistema criminal da justiça. Ajudaria a reverter o número desproporcional de pessoas negras condenadas por uso de droga nas prisões.

9. Implicações globais
O mercado de drogas ilegais representa cerca de 8% de todo o comércio mundial (em torno de 600 bilhões de dólares ano). Países inteiros são comandados sob a influência, que corrompe, dos cartéis das drogas. A proibição permite também que os países desenvolvidos mantenham um amplo poder político sobre as nações que são produtoras com o patrocínio de programas de controle das drogas. A legalização devolveria o dinheiro perdido para a economia formal, gerando impostos, e diminuiria o alto nível de corrupção. Removeria também uma ferramenta de interferência políticas das nações estrangeiras sobre as nações produtoras.

10. A proibição não funciona
Não existe nenhuma evidência para mostrar que a proibição esteja resolvendo o problema. A pergunta que devemos nos fazer é: Quais os benefícios de criminalizar qualquer droga? Se após analisarmos todas as evidências disponíveis concluirmos que os males superam os benefícios, então temos de procurar uma política alternativa. A legalização não é a cura para tudo, mas nos permite encarar os problemas criados pela proibição. É chegada a hora de uma política pragmática e eficaz sobre drogas.

(Texto publicado por Emir Sader no site http://www.cartamaior.com.br/)

postagem humildemente roubada do sensacional-fora-de-serie Dr. Estranho, meus mais admiraveis agradecimentos... http://doktorestranho.blogspot.com/



sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Corações Klingons

lindo klingon ilustrado pelo lima.

Os deuses forjaram o coração Klingon com fogo e ferro. E o coração bateu com tanta força, e tamanho foi o som de suas batidas, que os deuses bradaram: “Neste dia nós criamos o mais forte coração de todo firmamento.” Então, o coração Klingon enfraqueceu, o ritmo de suas batidas diminuiu, e os deuses indagaram: “Por que fraquejas? Fizemos de ti a mais forte de todas criações.”
E o coração respondeu: “Estou sozinho”
E os deuses souberam que haviam falhado. Assim, eles voltaram para aforja e moldaram outro coração.
No entanto, o segundo coração bateu ainda mais forte do que o primeiro, que invejou seu poder. Felizmente, o segundo coração havia sido temperado com sabedoria.
“Se nos juntarmos, nenhuma força conseguirá nos deter!”
E quando os dois corações começaram a bater juntos, ambos preencheram o firmamento com um som terrível. Pela primeira vez, os deuses conheceram o medo. Eles tentaram fugir, mas era tarde demais. Os corações Klingons destruíram os deuses que os haviam criado e transformaram os céus em cinzas. E, daquele dia em diante, ninguém mais conseguiu sobrepujar a batida de dois corações Klingons.


{ Lenda sobre a criação dos Klingons e como eles destruíram seus próprios deuses. }

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Congênito


Se a gente falasse menos
Talvez compreendesse mais
Teatro, boate, cinema
Qualquer prazer não satisfaz
Palavra figura de espanto
Quanto na terra tento descansar

Mas o tudo que se tem
Não representa nada
Tá na cara
Que o jovem tem seu automóvel
E o tudo que se tem
Não representa tudo
O puro conteúdo é consideração
Não goza de consideração

luis melodia, psicodelico...

sexta-feira, 11 de setembro de 2009


"Quem tem que comandar nossa vida é nossa cabeça, o corpo que se vire pra ir atrás...!"
erickson luna

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

quinta-feira, 13 de agosto de 2009


"O papel está hoje com uma abominável falta de imaginação.
Continua apenas, olhando-me:
vazio, mais quadrado do que nunca."

-Mário Quintana

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Carta aos Reitores das Universidades Européias


"Carta aos Reitores das Universidades Européias"


Senhores Reitores,

Na estreita cisterna que os Srs. chamam de "Pensamento", os raios espirituais apodrecem como palha.

Chega de jogos da linguagem, de artifícios da sintaxe, de prestidigitações com fórmulas, agora é preciso encontrar a grande Lei do coração, a Lei que não seja uma lei, uma prisão, mas um guia para o Espírito perdido no seu próprio labirinto. Além daquilo que a ciência jamais conseguirá alcançar, lá onde os feixes da razão se partem contra as nuvens, existe esse labirinto, núcleo central para o qual convergem todas as forças do ser, as nervuras últimas do Espírito. Nesse dédalo de muralhas móveis e sempre removidas, fora de todas as formas conhecidas do pensamento, nosso Espírito se agita, espreitando seus movimentos mais secretos e espontâneos, aqueles com um caráter de revelação, essa ária vinda de longe, caída do céu.

Mas a raça dos profetas extinguiu-se. A Europa cristaliza-se, mumifica-se lentamente sob as ataduras das suas fronteiras, das suas fábricas, os seus tribunais, das suas universidades. O Espírito congelado racha entre lâminas minerais que se estreitam ao seu redor. A culpa é dos vossos sistemas embolorados, vossa lógica de 2 mais 2 fazem 4; a culpa é vossa, Reitores presos no laço dos silogismos. Os Srs. fabricam engenheiros, magistrados, médicos aos quais escapam os verdadeiros mistérios do corpo, as leis cósmicas do ser, falsos sábios, cegos para o além-terra, filósofos com a pretensão de reconstituir o Espírito. O menor ato de criação espontânea é um mundo mais complexo e revelador que qualquer metafísica.

Deixem-nos pois, os Senhores nada mais são que usurpadores. Com que direito pretendem canalizar a inteligência, dar diplomas ao Espírito?

Os Senhores nada sabem do Espírito, ignoram suas ramificações mais ocultas e essenciais, essas pegadas fósseis tão próximas das nossas próprias origens, rastros que às vezes conseguimos reconstituir sobre as mais obscuras jazidas dos nossos cérebros.

Em nome da vossa própria lógica, voz dizemos: a vida fede, Senhores. Olhem para seus rostos, considerem seus produtos. Pelo crivo dos vossos diplomas passa uma juventude abatida, perdida. Os Senhores são a chaga do mundo e tanto melhor para o mundo, mas que ele se acredite um pouco menos à frente da humanidade."


Artaud

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Terry Pratchett e a morte assistida


O escritor Terry Pratchett se juntou à discussão sobre a legalização do direito de morte na Inglaterra. O criador da série Discworld foi diagnosticado como portador do Mal de Alzheimer em 2007 e desde então tem lutado contra os efeitos da doença.
Pratchett declarou em uma matéria no jornal Daily Mail que tem pensado muito na morte. Seu desejo é morrer numa cadeira em seu próprio jardim com um copo de brandy na mão e Thomas Tallis no iPod. A cena, segundo o escritor, aconteceria logo após um médico administrar-lhe uma injeção de substância letal.
A morte assistida é ilegal na Inglaterra, o que tem levado muitos britânicos a viajar para a Suíça, onde a lei permite, dentro de certas condições, que pacientes de doenças terminais encerrem suas vidas com ajuda médica. Pratchett defende a criação de tribunais específicos para determinar se os pacientes terminais que solicitam a morte assistida estão agindo voluntariamente.
O apoio do escritor foi divulgado logo após uma paciente de esclerose múltipla obter uma sentença que força o governo britânico a esclarecer quando casos envolvendo o direito de morrer serão objeto de processo. A paciente quer ter certeza de que seu marido não será processado por acompanhá-la à Suiça, onde ela pretende morrer na clínica Dignitas.
texto usupardo do omelete e a foto da hermione toda melindrosa tomando umas... quase não tem nada a ver uma coisa com a outra...

quarta-feira, 29 de julho de 2009

"O Demônio e o Mar Pronfundo"



por Grant Morrison, Chaz Troug & Doug Hazlewood

segunda-feira, 20 de julho de 2009

dia do amigo e 40 anos do homem na lua...


Hoje são 20 de julho... dia do amigo... um argentino resolveu comemorar o dia em que o homem pisou na lua porque considerou o primeiro passo para que os terráqueos pudessem fazer amizade com seres de outros planetas, anos depois essa data foi instituida como o dia do amigo em vários lugares do mundo... para comemorar essa data postarei uma das últimas entrevistas de Arthur C. Clarke, um dos grandes autores de ficção cientifica de todos os tempos, aos 90 anos, poucos meses antes de sua morte em 2008... para os amigos presentes e ausentes, distantes mas sempre juntos...

Qual a sensação de fazer 90 anos?
Bem, não me sinto um dia mais velho do que quando tinha 85. E cito Bob Hope: “Você sabe que está ficando velho quando as velas custam mais do que o bolo”. Mas a parte mais triste é que a maioria dos meus amigos e contemporâneos já se foi.

De tudo que você fez e escreveu, de que tem mais orgulho?
Eu tenho mais de 100 livros e mais de mil contos para escolher. Em termos de impacto, eu diria que foi “Transmissões Extraterrestres” (Wireless World, 1945), artigo em que inventei o satélite de comunicações e pelo qual eu recebi a grande soma de U$ 30. Em segundo fica o conto “A Sentinela”, escrito originalmente em 1948 para um concurso na BBC (não ganhou!) e que virou um certo filme que fiz com Stanley Kubrick (2001: Uma Odisséia no Espaço).

O mundo de hoje – Mudanças climáticas, guerras – o preocupa? Você previa um futuro tão sombrio para nós? Será que prevaleceremos?
Eu tenho grande fé no otimismo como filosofia, porque nos oferece a oportunidade da profecia que se faz cumprir. Gostaria de pensar que aprendemos algo com o século mais violento da história e ao qual conseguimos sobreviver – o XX. A mudança climática é resultado do nosso vício em petróleo e carvão. Desenvolver fontes de energia limpa nos próximos anos pode impedir que pioremos a situação, mas teremos que viver com muitas conseqüências adversas por conta da nossa intromissão planetária. Mas a humanidades vai prevalecer.

Qual você acha que é a maior ameaça que nós, como raça, estamos enfrentando?
A religião organizada que polui mentes enquanto finge dar moralidade e salvação espiritual. Ela está disseminando o vírus mais maldoso de todos. Espero que um dia possamos superar essa noção primitiva, como eu previ em 3001: A Odisséia Final.

Se você governasse o mundo, o que mudaria?
Eu impediria estados e governos de se misturar com religião. Isto é letal e deixa milhões na miséria. A religião deve ser um assunto muito particular, nunca um esporte para espectadores.

Quem você mandaria para um universo paralelo?
Advogados e padres!

Se você não estivesse dando esta entrevista. O que estaria fazendo?
Sonhando. Eu agora tenho que sobreviver dormindo 16 horas por dia, mas gosto dos sonhos vívidos que tenho. Posso estar em cadeira de rodas, mas minha mente passeia por todos os lugares.

Se você pudesse viajar para qualquer lugar do universo, em qualquer período, quando e onde seria e por quê?
Gostaria de estar presente no primeiro contato com extraterrestres – desde que eles não fossem tão desagradáveis quanto o H sapiens.

Você pensa na hipótese de ser congelado criogenicamente?
Eu não tenho desejo de ser congelado ou ser preservado de qualquer forma. Meu jardim em Colombo guarda os túmulos de vários animais de estimação queridos, e um dia – espero que ainda distante – minhas cinzas serão depositadas ao lado deles.

Qual é sua mensagem para os jovens pensadores, cientistas e escritores do mundo de hoje?
Lembrem-se das três leis de Clarke:

1- Quando um cientista importante, mais velho disser que algo é possível, ele quase sempre terá razão. Quando diz que algo é impossível, provavelmente está errado.

2- A única forma de descobrir os limites do possível é se aventurar um pouco além do impossível.

3- Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da mágica.









quarta-feira, 15 de julho de 2009

I Festival Cultural da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha



Conexões Griô apresenta Latinidades:

I Festival Cultural da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha


Dia 25 de julho é o Dia da Mulher-Afro-Latino-Americana e Caribenha. Para esta data tão especial, e que precisa ser visibilizada internacionalmente, a Griô Produções, em parceria com a Associação Coturno de Vênus e Fórum de Mulheres Negras, organizou, em Brasília, três dias imperdíveis de festival. De 23 a 25 cineclubes, debates e shows, com entrada gratuita, farão parte da programação que acontece no Balaio Café (23/07), Sindicato dos Urbanitários (24/07) e Praça Zumbi dos Palmares, no Conic. O Festival Cultural da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha será um espaço-oportunidade de consolidar o dia 25 de julho, importante para promover algumas transformações nas relações de gênero e raça, valorizar e proporcionar auto-estima das mulheres e construir novos diálogos. Confira a programação e participe dessa jornada pela consolidação do dia 25 de julho na capital do país. Igualdade é assunto para todas e todos, negr@s e não-negr@s e cultura é mais que entretenimento! Portanto, senhoras e senhores, sejam bem-vind@s à primeira edição do Latinidades, uma casa muito nossa, cheia de cultura, educação, debate, política afirmativa, força feminina e diversão, sim, muita diversão!!



http://www.grio.art.br/

quinta-feira, 2 de julho de 2009

carta a antigos amigos


ou porque a mágoa é uma das piores coisas pra se sentir...

Vocês são uns vermes... covardes... como vocês ousam? Me esqueçam... em pensar que eu já me importei... vocês são uns vermes, se acham especiais, claro tão brancos... procurando os mais fracos pra jogarem a responsabilidade... e agora fica tudo claro pra mim... a Senhora vivendo numa ilusão de que tem uma família perfeita... Acorda!!! Quando a escola da sua filha a expulsou por estar fumando maconha com os coleguinhas, desacreditou, perguntou pra filha, foi defendê-la dessa calúnia, mas a diretora tinha filmado ela com a boca na botija... filmado... as imagens não mentem, só você que se engana... cara no chão... quando seu filho foi pego em pirinopolis com 100g de maconha e se livrou porque tava com um filho de diplomata... cara no chão... é claro que você tinha que se enganar e acreditar no caô de que policiais malignos implantaram drogas nas coisas do pobrezinho... eu tenho pena de você... graças a deus eu estava longe dessa sua família podre quando isso aconteceu, se não sobraria para o moreno, hoje não tenho dúvidas... e quanto ao senhor... que vergonha... seu covarde miserável... incapaz de resolver seus problemas, insiste em procurar algum responsável... vc é o pai meu amigão... se seu filho ta chupando pica pra comprar crack, não venha dizer que foi porque eu dei maconha pra ele há dez anos... eu nunca fumei maconha com seu filho, seu desgraçado, mas é claro que você só acredita no que lhe apraz... naquele tempo, talvez você não queira lembrar, você vivia bêbado, é alcolismo o nome disso... desempregado, acordava 3 da tarde e pedia pra gente ir comprar kaiser no supermercado com as moedas que vc catava no fundo da bolsa da tua mulher, seu imprestável... seu filho é apenas mais um dos seus fracassos, seu merda... eu faria tudo pela família de vcs, seus ingratos... aí me cruscificaram por uma piada de câncer que eu fiz?!?! Eu era uma criança, porra!!! Compra um câncer pra vc filho, aproveita e trás um liqht pra mim.... Meu deus, que bobagem... mas foda-se!!! Engoli essa merda... como engoli muita merda na minha vida... ela simplesmente não queria que eu botasse os pés na casa dela... que bobagem... e agora vêm com essa conversa de que o filhinho deles tá na merda por minha causa?!?! Abre o olho gente branca... vcs passaram por muita coisa, mas eu não sou esse demônio que vcs estão procurando... esse demônio tá bem embaixo do nariz de vcs seus idiotas... Acorda seu judeu filha da puta, olha o exemplo que vc dava pra ele pra depois querer empurrar a culpa pra quem quer que seja... engraçado que onde quer que vcs estejam tão sempre com esses probleminhas espirituais... espero que um dia vcs expurguem seus demônios... porque vcs já tão ficando velhos demais pra essas merdas... desgraçados... um casal de desgraçados, cheios de filhos problemáticos... e querem responsabilizar um moreno a centenas de quilômetros pela merda que vcs criaram... vcs deviam se envergonhar... vou fumar um e torcer pra que seus filhos se saiam melhor que vocês... vocês se merecem...

quarta-feira, 24 de junho de 2009

segunda-feira, 15 de junho de 2009

passo de um tolo


ilustração do meu bom amigo Lima, que essa hora deve estar realizando a vontade do universo no Maranhão, a ilha do amor...


Alan Moore é como um pai pra mim...



"Largar o emprego diurno e começar escrever foi um risco, o passo de um tolo, um tiro no escuro. Mas o que tem valor na vida, seja a carreira, uma obra de arte, uma relação, começa sempre com um passo desses. E pra conseguir dar é preciso deixar de lado o medo de falhar e o desejo de ter êxito. Temos que fazer essas coisas sem qualquer medo, sem desejo. O que fazemos sem lascívia, nem pensando nas conseqüências são os desempenhos mais puros que jamais teremos."
"Quando cumprimos a vontade do nosso verdadeiro Eu, cumprimos inevitavelmente a vontade do Universo. Na magia essas vontades são indistinguiveis, pois todos as almas são uma alma, a alma do Universo em si. E enquanto cumprimos a vontade do universo é impossivel errarmos."

segunda-feira, 8 de junho de 2009

INSTRUÇÕES PARA USAR DURANTE UMA SESSÃO PSICODÉLICA



Oh Viajante, chegou o momento de procurar novos níveis de realidade. Teu ego e o jogo estão a ponto de cessar. Tu estás prestes a ser posto(a) face a face com a Serena Luz. Estás prestes a experienciá-la em sua realidade. No estado livre-de-ego, onde todas as coisas são como o vazio e limpo céu, E o intelecto nu e imaculado é como um vácuo transcendente; Neste momento, conhece-te e suporta o estado.
Oh Viajante, Aquela que é dita a ego-morte aproxima-se de ti. Lembra-te: Esta é a hora da morte e do renascimento; Tira vantagem desta morte temporária para obteres o estado de perfeito Esclarecimento. Concentra-te na unidade de todos os seres vivos. Agarrate à Serena Luz. Usa-a para alcançares entendimento e amor.
Se não puderes manter o gozo da iluminação e se estás deslizando de volta ao contato com o mundo exterior, Lembra-te: As alucinações que experimentas agora, As visões e insights, Te ensinarão muito sobre tu mesmo(a) e sobre o mundo. O véu da percepção rotineira será tirado da frente dos teus olhos. Lembra-te da unidade de todas as coisas vivas. Lembra-te do gozo da Serena Luz. Deixa-a guiá-lo(a) através das visões desta experiência. Deixa-a guiá-lo(a) através de tua nova vida a vir. Se te confundires, puxa à memória a lembrança de teus amigos e da força da pessoa que tu mais admiras.
Oh Viajante, Tenta alcançar e manter a experiência da Serena Luz. Lembra-te: A luz é a energia vital. A infinita chama da vida. Um turbilhão ondulante e mutante de cor pode engolfar tua visão. Esta é a transformação incessante da energia. O processo vital. Não o temas. Rende-te a ele. Junta-se a ele. Ele é parte de ti. Lembra-te também: Além da eletricidade fluida incansável da vida está a realidade final – O Vazio. Tua própria consciência, não sendo formada por nada que possua forma ou cor, é naturalmente vazia. A Realidade Final. A Toda Boa. A Toda Pacífica. A Luz. A Irradiação. O movimento é o fogo da vida do qual tudo vem. Junta-te a ele. Ele é parte de ti. Além da luz da vida está o silêncio pacífico do vazio. A tranqüila felicidade além de todas as transformações. O sorriso do Buda. O Vazio não é nulidade. O Vazio é o começo e o fim de si mesmo. Desobstruído, brilhando, estremecendo, cheio de felicidade. A consciência de Diamante. O Todo-Bom Buda. Tua própria consciência, não sendo formada por nada, Nenhum pensamento, nenhuma visão, nenhuma cor, é vazia. O intelecto brilhando e cheio de felicidade e silêncio – Este é o estado do perfeito esclarecimento. Tua própria consciência, brilhando, vazia e inseparável do grande corpo de irradiação, não tem nascimento, nem morte. É a luz imutável que os tibetanos chamam de Buddha Amitabbha, A consciência do início sem forma. Saber disto é o bastante. Reconhece o vazio de tua própria consciência para chegares à Budidade. Mantém este reconhecimento e manterás o estado da mente divina do Buda.


tim leary

segunda-feira, 1 de junho de 2009

forza...


"Toda a sua energia, toda a sua força, se empregam nessa fraqueza..."

terça-feira, 5 de maio de 2009

tell lie vision


um trecho de uma entrevista do Sr. Alan Moore, onde ele fala sobre a tv... eu já disse que ele é como um pai pra mim...?

(...) a maioria da programação eu não assisto mesmo. Acho que a televisão é do mal, é um expediente de Satã (risos). Acho que é algo como 10.000 anos de tempo humano perdido toda noite para a televisão. Só uma pessoa: 10.000 anos. Você poderia ter construido uma civilização nesse tempo. Mas não, estavamos assistindo Coronation Street (novela inglesa que já dura mais de 40 anos!). E ela entra nas cabeças de todo mundo; os modos de ver, a política da gente. Não conseguimos eleger mais ninguém a não ser que seja telegênicos. Setivessemos um politico brilhante que fosse obeso ou tivesse lábio leporino, não importaria se fosse um politico brilhante e fosse justamente o que o mundo presisava, nós não conseguiríamos elegê-lo. Enquanto se temos uma marionetezinha completamente vazia, escorregadia e artificial como Tony Blair ou Bill Clinton, por eles terem uma certa aparencia, sim, vamos elêge-los toda vez. (...)
Nós temos essa coisa que deveria ser, no máximo, uma forma de entretenimento e, mesmo assim, ela dita a maior parte de nossas vidas. Muitas pessoas não conseguem conceber uma idéia a não ser que a tenham visto na televisão. Eu vi mulheres na televisão que acabaram de ter os filhos mortos num acidente de estrada e a reação da mulher é algo que vi nas novelas. Não porque as atrizes de novela conseguiram captar algo real, é porque as pessoas acreditam nos personagens de novela e nas emoções que representam mais do que acreditam em suas próprias. Talvez ela quisesse apenas chorar ou fazer ruídos incoerentes, mas não, ela começou: "Oh, meu Deus! Oh, meu Deus! Não acredito nisso!" Estamos todos começando a virar personagens de uma novela ruin, e isso é preocupante.
Talvez eu não faça isso, mas no final do ano estou pensando em me livrar da minha TV. Não estou na internet, não tenho e-mail, não tenho carro, não tenho celular. Acho que vou virar Amish: nenhuma tecnologia depois do cavalo e da charrete. Vai ser divertido. Eu poderia viver assim.

eu também Alan, eu também...
entrevista dada à revista Kaos, há um bom tempo... em breve disponibilizarei a experiencia transcendental de moore com magia... e alguns cogumelos...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

MITO CHAMADO "deus"


"Eu sei que sem mim, por nenhum momento, Deus pode viver. Se eu não me converto, ele terá que renunciar o espírito. Deus não é capaz, sem mim, de criar nem mesmo o mais ínfimo dos vermes. Sou como Deus, tão grande e Deus é como Eu, tão pequeno. Não pode estar sobre mim nem eu posso estar sobre ele. Deus é em mim o fogo e eu sou nele o resplendor... Não somos então, profundamente iguais?
Deus ama a mim mais do que a si mesmo. Eu o amo mais do que a mim próprio. Tem o mesmo valor aquilo que lhe dou e aquilo que ele me concede. Deus é homem para mim e eu para ele sou Deus. Satisfaço assim sua sede e ele corre em minha ajuda... Aos humanos Deus se amolda e está a nossa disposição... Pobre de nós se não fossemos aquilo que devemos ser!
Deus é o que é e eu sou o que sou! Se conheces um, estarás conhecendo os dois. Fora de Deus eu não existo, Deus não existe fora de Mim. Eu sou Luz e vida ele é minha recompensa!"
Eckhart

quarta-feira, 15 de abril de 2009

passeio no inferno


Em um instante ele não estava mais ali. Agora ele estava no inferno. E curiosamente alguma coisa era familiar. Ele sabia que estava no inferno, a última coisa que ele se lembra é de ter olhado pro relógio, mas não fazia idéia de que horas eram... e agora ele era incapaz de enxergar os ponteiros do relógio... Tarde pra quem chega e cedo pra quem vai embora, tudo uma questão de percepção... A hora certa pra alguém, e certamente os piores momentos de uma vida, da vida de outro alguém... Depende muito da fase da vida, e das coisas que passamos até chegar aqui... Enquanto envelhecemos somos capazes de sentir que o tempo passa cada vez mais rápido. Tudo uma questão de percepção. Tudo é uma questão. Ele estava no inferno, e alguma coisa era familiar. O inferno é exatamente igual a isto aqui, mas em outra vibração. Parece com algo que, tragicamente, vai acontecer, ou que deveria ter acontecido. Tudo está em seu devido lugar, mas parece devastado. Um ar quente que queima as narinas e os pulmões. Um cheiro forte incomodava-lhe quase que insuportavelmente. Um céu sem lua e sem estrelas... na verdade não é nem noite e nem dia. A única certeza é uma sensação dificil de descrever... talvez uma inevitabilidade, uma angústia sem fim... uma dor infinita, a angústia e a obcessão. Tudo está devastado a sua volta, e tudo também está devastado dentro de todos nós. E a visão disso tudo é desesperadora, e em meio ao desespero e a desesperança surge uma presença... uma presença familiar... sentido-se à vontade para perguntar, as palavras não são capazes de sair de sua boca... mas uma resposta vem de forma incompreencivelmente clara... Quem manda aqui é a senzala! Uma sensação de terror percorre seu corpo, uma sensação que ele nunca sentiu anteriormente, mas que lhe parecia estranhamente familiar... A eminente derrota do espirito...

segunda-feira, 13 de abril de 2009

barba

Eles eram considerados por todos o casal ideal. Nunca brigavam, viviam na maior harmonia, estavam sempre rindo um para o outro e trocando carícias. Mas aí tudo mudou.De repente, ele resolveu deixar crescer a barba. Por que tomou essa decisão não estava bem claro. Parece que tinha encontrado o retrato de um bisavô, muito parecido com ele, e que usava uma bela barba negra. O exemplo o encorajou, e lá pelas tantas ele estava virando barbudo também. Não se tratava de um discreto cavanhaque, ou de uma bem cultivada barba. Não, era uma barba de patriarca, de eremita, uma barba longuíssima, que lhe chegava ao peito.Muita gente estranhou. Os amigos, naturalmente, e também o diretor da loja de departamentos onde era chefe de seção: aquilo espantava os fregueses. Mas ninguém reclamou mais do que a esposa. Para começar, ela não gostava de homens barbudos; depois, queixava-se, era uma coisa desagradável, que lhe irritava a pele do rosto. Chegou a ameaçá-lo com uma greve de sexo se o marido não fosse ao barbeiro raspar a face.Escusado dizer que nem as críticas nem as ameaças o convenceram. Estava simplesmente encantado com a barba, cuidava dela, penteava-a cuidadosamente; porque, segundo dizia, agora sim, tinha descoberto a sua verdadeira personalidade. E foi então que leu no jornal sobre o Campeonato Mundial de Barbas e Bigodes, a se realizar na Alemanha. De imediato, decidiu participar. Não tinha dúvidas de que sua barba seria a vencedora e que ele traria para o Brasil um grande título. Já sabia até que tipo de penteado faria, dando aos pêlos o formato de lanças guerreiras. Coisa para entusiasmar o júri.Quando a esposa soube desse plano, ficou por conta. Já não bastava o vexame que ele dava na cidade, precisava ir para o exterior? Discutiram longamente, mas ele não quis nem saber: iria e pronto; já estava até com a passagem comprada.Vendo que não conseguiria convencê-lo, ela partiu para a ação. Na noite antes da partida colocou um comprimido para dormir na comida dele, e enquanto o marido estava ferrado no sono, cortou-lhe a barba.Mas ele foi assim mesmo. Com uma barba postiça, que era uma cópia exata de sua barba verdadeira. Não ganhou prêmio algum, mas voltou contente: pelo menos tinha reafirmado, perante o mundo e a mulher, o direito à barba.

Moacyr Scliar... adoro.... foto meramente ilustrativa, como sempre...

Não esqueça os maus



"Senhor: quando vieres na Tua glória, não te lembres apenas dos homens de boa vontade; lembra-Te também dos homens de má vontade.

"E, no dia do Julgamento, não Te lembres apenas das crueldades, servícias e violências que eles praticaram: lembra-Te também dos frutos que produzimos por causa do que eles fizeram. Lembra-Te da paciência, da coragem, da confraternização, da humildade, da grandeza de alma e da fidelidade que nossos carrascos terminaram por despertar em nossas almas.

"Permite então, Senhor, que os frutos por nós produzidos possam servir para salvar as almas dos homens de má vontade."

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Estrutura da Alma (trecho)



Em minha atividade prática tenho me ocupado de sonhos há mais de vinte anos. Vezes e mais vezes tenho visto como idéias que não foram pensadas durante o dia, sentimentos que não foram experimentados, depois emergiam nos sonhos e deste modo atingiam a consciência. Mas o sonho como tal é um conteúdo da consciência, pois do contrário não poderia ser objeto da experiência imediata. Mas visto que ele traz à tona materiais que antes eram inconscientes, somos forçados a admitir que estes conteúdos já possuíam uma existência psíquica qualquer em um estado inconsciente e somente durante o sonho é que apareceram à consciência restrita, ao chamado "remanescente da consciência". O sonho pertence aos conteúdos normais da psique e poderia ser considerado como uma resultante de processos inconscientes, a irromper na consciência.
Se, porém, com base na experiência, somos levados a admitir que todas as categorias de conteúdos da consciência podem, ocasionalmente, ser também inconscientes e atuar sobre a consciência como processos inconscientes, deparamo-nos com a pergunta, talvez inesperada, se o inconsciente tem sonhos também. Em outras palavras: há resultantes de processos ainda mais profundos e — se possível — ainda mais inconscientes que penetram nas regiões obscuras da alma! Eu deveria repelir esta pergunta paradoxal como demasiado aventurosa, se não houvesse realmente motivos que conduzem semelhante hipótese ao domínio do possível.
Devemos primeiramente ter diante dos olhos os elementos necessários para provar que o inconsciente tem sonhos também Se queremos provar que os sonhos ocorrem como conteúdos da consciência, devemos simplesmente demonstrar que há certos conteúdos que, pelo caráter e pelo sentido, são estranhos e não podem ser comparados aos outros conteúdos racionalmente explicáveis e compreensíveis. Se pretendemos mostrar que o inconsciente tem sonhos também, devemos fazer a mesma coisa com os seus conteúdos. O mais simples talvez seja apresentar um exemplo prático:
Trata-se de um oficial, de 27 anos de idade Ele sofria de violentos ataques de dores na região do coração, como se dentro houvesse um bolo, e de dores penetrantes no calcanhar esquerdo. Organicamente não se descobriu nada. Os ataques haviam começado cerca de dois meses antes e o paciente fora licenciado do serviço militar, em vista de sua incapacidade temporária para andar. Várias estações de cura de nada adiantaram. Uma investigação acurada sobre o passado de sua doença não me proporcionou nenhum ponto de referência, e o próprio paciente não tinha a mínima idéia do que poderia ser a causa de seu mal. Ele me dava a impressão de ser um tipo saudável, um tanto leviano e teatralmente meio "valentão", como se quisesse,.dizer: "Nesta ninguém me apanha". Como a anamnese nada revelasse, eu lhe fiz perguntas a respeito de seus sonhos. Imediatamente tornou-se evidente a causa de seus males. Pouco antes da neurose se manifestar, a moça que ele namorava rompeu com ele e noivara com outro. Ele me contou essa história, considerando-a sem importância — "uma mulher estúpida: se ela não me quer, eu arranjo outra — um homem como eu não se deixa abater por uma coisa destas". Esta era a maneira pela qual ele tratava sua decepção e sua verdadeira dor. Mas agora seus afetos vêm à tona. E a dor do coração desaparece e o bolo que ele sentia na garganta desaparece depois de alguns dias de lágrimas. A "dor no coração" é uma expressão poética que aqui se tornou realidade, porque o orgulho de meu paciente não lhe permitia que ele sofresse sua dor como sendo uma dor da alma. O bolo que ele sentia na garganta, o chamado globus hystericus, provém, como todos sabemos, de lágrimas engolidas.
Sua consciência simplesmente se retirou dos conteúdos que lhe eram penosos, e estes, entregues a si mesmos, só podiam alcançar a consciência indiretamente sob a forma de sintomas. Trata-se de processos inteiramente compreensíveis por via racional e, conseqüentemente, de evidência imediata, os quais — se não tivesse sido o seu orgulho —poderiam igualmente transcorrer no plano da consciência.
E agora quanto ao terceiro sintoma: as dores que ele sentia no calcanhar não desapareceram.
Elas não se enquadram na imagem que acabamos de esboçar. O coração não está ligado diretamente ao calcanhar e ninguém exprime sua dor por meio do calcanhar. Do ponto de vista racional não se vê a razão pela qual as duas outras síndromes não satisfaziam.
Mesmo teoricamente, estaríamos inteiramente satisfeitos, se a tomada de consciência do sofrimento psíquico resultasse em dor normal e, conseqüentemente, em cura. Como a consciência não podia me oferecer nenhum ponto de referência para o sintoma do calcanhar, recorri mais uma vez ao antigo método dos sonhos. O paciente teve um sonho em que se vira mordido por uma serpente e imediatamente ficara paralítico. Este sonho, evidentemente, trazia a interpretação do sintoma do calcanhar. O calcanhar lhe doía porque fora mordido por uma serpente. Tratava-se de um conteúdo estranho, com o qual a consciência racional nada sabia o que fazer. Pudemos entender, de imediato, a razão pela qual o coração lhe doía, mas o fato de o calcanhar também doer, ultrapassava qualquer expectativa racional. O paciente ficou completamente perplexo diante do caso.

jung

domingo, 22 de março de 2009

super, grant...


Grant Morrinson, sobre seu Superman All Star...

"Nós desconstruímos nossos ícones. Sabemos que políticos são mentirosos filhos da puta, que astros da TV são viciados em cocaína, que os atores bonitos são malucos travecos e que as lindas supermodelos são bulímicas, neuróticas e caóticas. Sabemos que nossos comediantes prediletos vão virar alcoólatras pervertidos ou deprimidos suicidas. Nossos reality shows colocaram um espelho escaldante diante das nossas caras de babuíno e das nossas obsessões óbvias e ridículas pela sujeira mais baixa e a fofoca mais inútil.

Sabemos que acabamos com a atmosfera e matamos os doces ursos polares e nem temos mais energia para sentir culpa. Deixa os pedófilos levarem as crianças. Não há mais a quem recorrer ou culpar, fora, paradoxalmente, aqueles caras levemente medievais que começaram a revolução industrial. No que resta acreditar? O único homem de verdadeira moral, de verdadeiro coração que nos resta é um personagem fictício dos quadrinhos! Os únicos modelos seculares a serem seguidos em uma cultura progressista, responsável, racional-científica e iluminada são... Kal-El, de Krypton, mais conhecido como Superman, e seus descendentes multicoloridos.

Nosso objetivo era colocar Superman e seu elenco no coração de fábulas sci-fi que qualquer pessoa, de qualquer idade, poderia ler e entender, embora cada um fosse entender as histórias de um jeito. Se você acaba de perder seu pai, talvez você leia o que Clark Kent diz no funeral do pai dele e sinta um pouco de comunhão humana. Se você quer sentir como é ser adolescente, veja o fantástico desenho de Frank Quitely do jovem Superman na lua, com seu fiel supercão Krypto ao lado. Superman é nós mesmos, nos nossos sonhos. Ele vive nossas vidas, mas de forma épica. Essa foi nossa abordagem."

quarta-feira, 18 de março de 2009


"Que Deus nos perdoe pelas pequenas piadas que temos feito contra ele... que nós o perdoaremos pela grandre piada que ele tem feito contra nós"

Lourenzo Mutarelli

terça-feira, 17 de março de 2009

Critica Desaforada de Wachmen


Depois que o gibi me levou à níveis tão profundos de reflexão, é impossivel me sentir confortável diante da superficialidade do filme.
É uma coisa muito séria... que é exatamente o que diferencia o quadrinho de outras mídias... O pau do Dr. Manhatan não balança nos gibis... se você leu o gibi e entende sobre o que eu estou falando, talvez você compreenda a seriedade disso tudo... esqueça o édipo, ele é só uma glândula... seja profundo... o que quis dizer toda aquela ultraviolência...? Tem um sentido... ainda não entendi... uma coisa é você sair no pau, brigar e ficar um pouco excitado, mas aquele massacre do coruja e da espectral foi brutal... fratura exposta e pescoço quebrado... depois vão pra casa e a mina fica querendo trepar... aí foi um pouco demais pra mim... nem esse Batman do filme novo, um bruto, foi tão longe... é gore o nome disso, né? Não entendi, não gostei...
Só tenho uma palavra...: Alan Moore tinha razão...
E tem mais, esse tipo de coisa só fortifica minha fé... JAH!!!
Podem dizer que ele é chato, que é doidão, que fala demais, fuma haxixe demais, cogumelo demais... podem falar o que seja... Alan Moore estava certo...
Pra quem acha ele chato, feio e bobo... só proponho um exercício de empatia... se colocar no lugar dele... e ver sua obra (prima?) ser transformada em uma armadilha, uma arapuca, uma maquina maléfica de fazer dinheiro... sim, porque esse filme foi demais, já foi lançado no cinema, com uma versão do director (???) que será lançada em breve em dvd, com 50 minutos a mais... que merda... os contos do cargueiro negro, uma poesia dentro do quadrinho, que virou uma animação e será lançado em dvd nas melhores lojas do ramo... mais as edições do quadrinho que tão sendo vendidas como nunca (isso eu acho massa!!), mais o livro do Dave Gibbons, bastidores do Wachmen (quem sou eu pra criticar o Dave Gibbons)... e mais bonequinho e lancheira e o caralho...Arapuca dos infernos... além do finalzinho infame do filme, com aquela vibe de continuação barata... Aguardem...
Aqueles personagens representavam os “super-herois”, e eram tão humanos como nós... em determinados momentos entre suas falhas, limitações, neuroses... podiamos enxergar nossas aspirações, nossos sonhos e nossa nobreza... o quanto de nós mesmos devemos abrir mão...? o que devemos sacrificar...?
Você pode comer diamantes para sua bosta sair brilhante... mas não se engane, vai continuar sendo bosta...

segunda-feira, 2 de março de 2009

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Carnaval


Chegou o carnaval... todo mundo muito doido... mulherada pelada na televisão... todo mundo achando traveco bonito... gente fazendo coisas impensáveis... ano pasado ganhei um dedo no olho espiritual, a validade de um ano venceu, e já tá fedendo... mas é isso aí... tudo de novo e denovo edenovo...
Comecemos nossos trabalhos... e em data tão especial... onde colocamos nossas fantasias, ou finalmente podemos sair de casa sem a mascara que a sociedade nos exige... anjos e demonios convivem em quase perfeita harmonia e agonia nas ruas desse brasilzão... uma poesia e/ou lição do meu camarada Furmiga... já agradeço a colaboração, para abençoar os foliões... apenas a primeira de outras que virão...

RISO

A Comédia é a conquista, sedutora de uma embriaguês
melancólica.

O Riso se dá no que há de novo e verdadeiro: inédito
ainda não dito, até então indizível.
A Graça é a abertura que se dá, arregaça o silêncio
inominado e lhe insere um sopro percissivo, a
transcendência do espírito pelo signo. Bafo intestinal
musicalizado nas cordas vocais (ou gestos rítmicos, não
antes compassados) inspirado e absorvido pelos outros
(ressonância) rumo à decomposição ígnea dos vermes e
vaporizado às aves.

O Sorriso é um re-riso. Diferente da novidade e
originalidade do que faz cócegas no ânus, é, pois, a
complacência do já-rido. Simpatia da dissonância
inevitável, contratempo posto, contraponto possível.
Suspiro relaxado. Inacumulável. desgraça. Retorno-
imagem do aberto, via veiculável. Boca calada, parada
(dentes néon), desenho preparado, aglutinando-se de
alegria para, brevemente, fazer abrir, extravasar
explosivamente um velho maldito. Forma-se o futuro
Riso, compõe-se uma nova vibração. Engraça-se um peido
coletivo, melodia contagiante. Repetida como ventos aos
trovões, o brilho de seus raios domina e subjuga.
Poder simbólico.

Cada piada deve ser contada somente uma única vez.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Seu trabalho terminou. Você mostrou a eles o rosto do homem do amanhã. Deu a eles um ideal pelo qual almejar, incorporou suas maiores aspirações. Eles vão correr, tropeçar, cair, engatinhar... e praguejar... e finalmente... eles se unirão a você no Sol, Kal-el. Com o tempo, você não estará mais sozinho.

sexta 13


sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

tempos modernos


Os tempos são outros, meu irmão... não precisamos nos preocupar em cortar os ts ou pingar os is...

loucura


Seriam as últimas coisas que ele faria antes de enlouquecer. Ele que finalmente ia... enlouquecer. Seus últimos pensamentos, suas últimas atitudes... Tudo ficara claro. Ele sabia que ainda tinha coisas pra fazer. E sabia que não conseguiria fazer tudo. Mas agora que já tinha começado, tudo estava claro, ele nunca tinha visto as coisas daquela maneira. Surpreendentemente tranquilo e sereno. Ele não pensara que seria assim. Ele já podia ouvir vozes. E não conseguiria manter o foco por muito tempo. Vozes que davam ordens, gritavam e xingavam. outras vozes o confortavam, outras eram mantras, cantos gregorianos... e tambores... ia acontecer em breve...
Ele precisava estar minimamente pronto. Devia ser uma questão de dias. Sem dúvida. E aos poucos tudo começou a desaparecer. As coisas falsas derretiam diante de seus olhos, até não sobrar quase nada. E tudo que sobrou era tão belo e tão triste. E todas suas duvidas, que eram a angústia de uma vida, não importavam mais. Quando todas as mascaras caíram só sobrou um vazio. O vazio. Somente um deus seria capaz de preencher tamanho vazio. E o vazio clamava por esse deus... ou por qualquer deus... E era só uma questão de tempo... E cada vez que o vazio clama, a loucura se apresenta... e todas as coisas que ele tinha que fazer também deixaram de importar...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Gravando, Gravando


Você me trata mal, ela dizia, você me diz coisas horríveis, coisas que um homem decente jamais diria a uma mulher. Acusação que ele rejeitava, indignado e irônico: você não sabe o que está dizendo, você vive num mundo de fantasia, ouvindo vozes.
Discussão que se prolongou por anos, até que ela teve uma idéia: provaria ao marido concretamente o que estava afirmando. Para isto, comprou um pequeno gravador, e passou a usá-lo constantemente, escondido sob a blusa. Ele de nada desconfiava. Continuava com seus impropérios. Quando a fita chegou ao fim – duas horas de agressões e desaforos – ela decidiu confrontar o marido com a realidade. À noite, depois do jantar, chamou-o ao quarto:
- Tenho uma coisa para lhe mostrar.
- O que é isto? – Ele, desconfiado, olhando a fita e o gravador.
- Ouça.
Ele ouviu. Por duas longas horas, ouviu. Quando a gravação terminou estava arrasado:
- Você tem razão – disse, a voz embargada, os olhos cheios de lágrimas. – Eu não presto mesmo. Sou tão ruim, tão perverso, que nem de minha maldade me dava conta.
Levantou-se:
- Vou-me embora. Não mereço viver ao seu lado.
Foi mesmo. Sumiu tão completamente, que ela nem sabe de seu paradeiro. Vive só; e a verdade verdadeira é que sente falta dele. Para se consolar, todos os dias ouve a gravação.
O gravador:
- Você é idiota, mulher, você tem cérebro de minhoca, você não faz nada direito.
Ela:
- Amor, onde estás, amor?
O gravador:
- Na cama você é um desastre, trepar com uma pedra de gelo é melhor do que trepar com você.
Ela:
- Volta pra mim, não posso viver sem você.
O gravador:
- Arrependo-me de ter saído à rua no maldito dia em que te encontrei. Se pudesse voltar atrás...
Ela:
- Fala mais, amor! Me xinga, me puteia, mas fala mais!
Inútil: o gravador está mudo. Qualquer gravador cala quando a fita termina.

um conto triste e belo do Moacyr Scliar, o escritor que eu queria ser...